desperdicio zero, eventos

5 Coisas que Aprendi no Encontro Global de Desperdício Zero

De 24 a 27 de Outubro, um grupo de pessoas que vivem no mundo inteiro, decidiram juntar-se num Encontro Global do Desperdício Zero em Cascais, e canalizar as suas energias para a temática do lixo. Tivemos direito a palestras incriveis, workshops que nos fizeram reflectir, apresentação de projetos ecológicos criativos e no último dia juntamo-nos para criar o nosso manifesto para 2020.

Foram muitas as aprendizagens ao longo destes 4 dias intensos, então gostaria de registá-las aqui e partilhar convosco.

1. A mudança está primeiramente em nós

Não adianta querermos mudar o mundo se não estivermos bem connosco próprios. É importante tomarmos consciência que só a partir do nosso auto-conhecimento e gestão de conflitos no nosso interior é que atingimos a nossa mudança. Até podes conversar com o outro para mudar para certo hábito mais ecológico, mas e tu? Já o mudaste? Como é a tua relação com o plástico? Estás a tentar mudar outros hábitos? Estás preparada/o para isso?

2. Todo o lixo que geras é a tua responsabilidade

Está agora a circular que a legislação portuguesa vai mudar para que sejam passadas multas a pessoas que jogam beatas de cigarros na rua. Sabemos que existe uma falta de civismo da parte de alguns fumadores mas existem tantos outros que não têm onde deixar as suas beatas porque não existem baldes do lixo ou cinzeiros de rua. Vamos então ficar à espera que sejam tomadas medidas pela parte das câmaras? Não, vamos nós arranjar uma solução que pode passar pelo uso de um cinzeiro individual portátil, por exemplo.

E quem fala nas beatas fala no lixo em geral. Somos responsáveis pela compra de sacos de plástico, pelo uso de sacos de plástico para a fruta, pelas embalagens de comida… Porque cada vez que usamos um destes itens é o mesmo que dizer que concordamos e podem produzir mais. Na verdade já não temos nem espaço nem recursos no nosso planeta para mais lixo. E porque há sempre uma solução, comprem a granel. Cada vez mais vão surgindo mercearias a granel, procurem na vossa zona ou então podem dar uma volta pelo mercado da vossa localidade, há bancas que vendem frutos secos, leguminosas, azeitonas, etc. a granel. Assim levam a quantidade que realmente precisam! E não se esqueçam de levar os vossos sacos de pano (para produtos secos) e frascos de vidro (para produtos humidos ou com água) para evitar os sacos de plástico. Não se preocupem que os vendedores tiram a tara e assim não pagam pelo peso do saco ou frasco.

3. A importância da compostagem para o meio ambiente e saúde das pessoas

Esta será a minha próxima mudança ecológica em casa.  A compostagem é basicamente o “lixo” orgânico (cascas de frutas e vegetais, restos de comida, borras de café, etc.) que produzimos em casa transformado em matéria orgânica. É como se fosse uma reciclagem do lixo orgânico em que o composto gerado é rico em nutrientes e pode ser usado como adubo na agricultura, horta, jardim, plantas e no enriquecimento de solos degradados.

Sabem aquele mau cheiro dos camiões do lixo? Isso acontece devido à contaminação do lixo orgânico juntamente com vidro, plásticos, pilhas, etc.

Outros benefícios do composto passam pela diminuição e mau cheiro nas ruas, prevenção da poliferação de animais vetores de doenças como baratas, ratos e moscas e ainda aumenta a vida útil dos aterros sanitários.

Sim, é possível fazermos compostagem num apartamento e existem muitas opções de tutoriais espalhados pela internet fora para quem não quer gastar muito dinheiro numa e não se importaria de a fazer.

4. Existem apps para a diminuição do desperdício alimentar

O trabalho que o Re-Food tem desenvolvido no combate ao desperdício alimentar tem sido brilhante mas a comida recolhida em supermercados e restaurantes é organizada para ser entregue a famílias  economicamente carenciadas.

Mas agora chegaram apps onde a comida que sobra pode ter outro destino mais feliz que o lixo e podem ser adquiridas por qualquer pessoa! Estas apps têm parcerias com diferentes estabelecimentos gastronómicos e o que sobrar vai diretamente para uma lista na app, normalmente com grandes descontos. Ou seja, para além de evitarmos o desperdício, poupamos dinheiro e os estabelecimentos não ficam a perder dinheiro. Podem ficar a saber mais sobre a Phenix AQUI e a To good to go AQUI

5. A agroecologia e o seu papel no desenvolvimento rural sustentável

Até à data nunca tinha ouvido falar no conceito de agroecologia mas fiquei logo encantada com o nome. A agrocologia é uma forma de agricultura sustentável que conecta conhecimentos cientificos com os tradicionais. Assim, surge como alternativa ao modelo tradicional de agricultura que encontramos muito nos dias de hoje e que tem vindo a causar a diminuição da biodiversidade. Na aplicação da agrocologia não se usam agrotóxicos, fertilizantes industriais ou trangénicos que irão contaminar os alimentos, empobrecer o solo e que podem ainda provocar doenças no ser humano e nos animais, apenas são utilizadas tecnologias limpas. Neste sentido, a agrocologia para além de ser ambientalmente sustentável acaba por ser também economicamente eficiente e socialmente justa.

Já tinham conhecimento de alguns destes pontos? Quais foram as tuas últimas descobertas sobre o desperdício zero?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *